mão com luva limpando massaneta com produtos saneantes domissanitários

Novos hábitos de limpeza na pandemia ampliam o mercado de saneantes domissanitários e impulsiona indústria do setor

O setor de saneantes domissanitários registrou um crescimento de 23,8% em 2019, em relação ao ano anterior, de acordo com a ABIPLA – Associação Brasileira das Indústrias de Produtos de Higiene, Limpeza e Saneantes de Uso Doméstico e de Uso Profissional. 

Em 2020, mesmo com todos os desafios enfrentados pela indústria perante à pandemia, a expectativa é de que o setor de saneantes ainda registre um crescimento de 3%, segundo Paulo Engler, diretor-executivo da entidade. 

Hábitos de higiene ganharam destaque durante a pandemia 

Os povos antigos já sabiam que a água contaminada poderia causar doenças. Por isso, possuíam regras que exigiam que as casas fossem mantidas limpas, porque sabiam que a limpeza poderia evitar infecções. 

Hoje sabemos que vírus e bactérias crescem em quase todos os lugares da terra e que, dentre os muitos benefícios do saneamento, o principal é a promoção e manutenção da saúde.  

Mas a pandemia de COVID-19 veio mais uma vez nos alertar que limpar não é o suficiente. É preciso higienizar, ou seja, remover a sujeira, e em seguida promover a desinfecção de microrganismos.  

Sendo assim, o resultado deste novo hábito foi um aumento significativo das vendas e crescimento do setor: a previsão para 2020 é de um crescimento de 3% em relação a 2019.

O resultado pode ser considerado razoável perante a crise, sendo que outros setores enfrentam estagnação ou amargam prejuízos. 

De acordo com a Nielsen,  empresa global de informação, dados e medição, assim que houve a  declaração da pandemia, surgiram uma série de efeitos nos hábitos de consumo da população.  

Foram fases que passaram desde o crescimento do interesse por produtos para a manutenção geral da saúde e bem-estar; prioridade aos produtos essenciais para a contenção do vírus, saúde e segurança pública; até armazenamento de alimentos, produtos utilizados para limpeza e desinfecção e uma vasta gama de produtos de saúde.

Entre os produtos saneantes que tiveram maior aumento no consumo durante a pandemia, estão: 

  • Álcool, com crescimento de vendas de 85%;
  • Produtos de limpeza em geral, com aumento de 58%;
  • Sabão líquido para lavagem de roupas, com aumento de 33%; 
  • Amaciantes de tecidos, com 30% de aumento. 

Novos hábitos vieram para ficar? 

A covid-19 já é um marco na história do século XXI. E, mesmo com uma possível vacina, o ano de 2020 deixou um legado na forma como vivemos, interagimos culturalmente e consumimos. 

Como resultado disso, maior frequência na lavagem das mãos, desinfecção das superfícies, sapatos para fora de casa: pequenas atitudes que já se tornaram corriqueiras entre adultos e crianças. 

Sendo assim, a expectativa para o setor de saneantes, mesmo após a pandemia, é que a procura pelos produtos de limpeza em geral seja maior do que o período anterior. Aumento sustentado devido aos novos hábitos e a busca por um ambiente livre de microrganismos.

Por este motivo, a indústria de saneantes precisa estar atenta à incorporação desses novos hábitos. Apostar em produtos com diferentes apresentações é uma das medidas para atender às demandas, tais como: 

  • FORMATOS: diferentes formatos que permitam o uso doméstico e fora de casa. Opções que o consumidor possa levar para onde quiser (produtos de bolsa, por exemplo), até produtos em maior tamanho, que tragam economia para a família. 
  • PREÇOS: é interessante apostar desde produtos premium até os de baixo custo, garantindo a penetração em todas as classes. 
  • FUNCIONALIDADE: agregar a funcionalidade de desinfecção aos diferentes produtos saneantes pode ser um atributo competitivo no ponto de venda, frente aos produtos convencionais. Um bom exemplo são os produtos multiuso com ação bactericida, que têm ação simultânea de limpeza e desinfecção. 

Qual a importância da regularização de saneantes domissanitários para serem comercialmente viáveis?

É fundamental que esses produtos cumpram seus objetivos e não produzam qualquer efeito prejudicial às pessoas. 

Certamente a qualidade, eficácia e a correta descrição de sua função e modo de usar no rótulo são essenciais para os produtos saneantes domissanitários. 

Sendo assim, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), responsável pela regularização destes produtos, está constantemente atualizando e elaborando novas normativas, visando abarcar inovações e proporcionar maior transparência e previsibilidade às ações regulatórias. 

Para isso, sempre em contato com a Anvisa e acompanhando seu trabalho, Vigna Brasil é líder na prestação de serviços legais, técnicos e regulatórios no Brasil. 

Portanto, os serviços abrangem desde as questões estratégicas de estabelecimento e operação da empresa, passando pelos processos regulatórios, até o suporte na fase de manutenção da companhia e dos produtos.

Para saber mais a respeito dos serviços prestados por Vigna Brasil para saneantes, clique aqui. 

en_USEN
pt_BRPT en_USEN