O processo de remediação em áreas contaminadas.

Entenda mais como é possível reabilitar áreas contaminadas com técnicas de remediação e convertê-las em locais livres de substâncias nocivas para o ser humano, animais e meio ambiente. 

De acordo com o Ministério do Meio Ambiente (MMA), área contaminada é qualquer espaço (terreno, instalação, edificação ou benfeitoria) que contenha quantidades ou concentrações de quaisquer substâncias ou resíduos que possam causar danos à saúde humana ou ao meio ambiente.  E quando isso acontece, é preciso considerar a remediação dessas áreas. 

Assim, remediação significa aplicar uma intervenção para reabilitar ou recuperar uma área contaminada. 

Uma área pode ser contaminada com poluentes ou contaminantes depositados de forma planejada, acidental ou natural, propagando-se por diferentes vias como, por exemplo, no solo, ar, águas subterrâneas e superficiais, causando impactos ambientais e riscos à saúde humana. 

Para garantir o uso seguro destas áreas no futuro, são utilizadas técnicas de remediação, que devem ser acompanhadas e aplicadas por empresas qualificadas em tratamentos com remediadores químicos, biológicos e bioestimuladores. 

No processo de tratamento das áreas degradadas ou contaminadas, é obrigatório o uso de produtos remediadores aprovados pelo IBAMA.

Como identificar uma área contaminada? 

A contaminação de uma área pode ser ocasionada por aterros, lixões, dejetos líquidos, sólidos ou gasosos através do descarte inadequado de dejetos que podem trazer sérios riscos para a saúde das pessoas expostas e ao meio ambiente.  

A Política Nacional do Meio Ambiente consiste na preservação, melhoria e recuperação da qualidade ambiental, por isso, a Lei nº 6.938 tem como princípio de racionalização do uso do solo, planejamento e uso dos recursos ambientais, proteção dos ecossistemas e controle das atividades poluidoras.

No processo de diagnóstico de uma área contaminada são utilizadas técnicas para avaliar:

– Grau de contaminação

– Coleta de amostras para análise geoquímica

– Métodos geofísicos do solo ou da água

– Sondagem mecânica

– Significância

 Como funciona a remediação de áreas contaminadas?

Do ponto de vista técnico, o processo de remediação envolve etapas para avaliações preliminares, investigações, avaliações de risco e ações para reabilitação da área. 

Para a escolha do melhor tratamento, são realizados estudos e testes locais. Havendo necessidade de remediação da área, serão definidas as técnicas de aplicação e tratamento. 

Quais os tipos de técnicas para recuperação?

Entre as técnicas utilizadas estão a “in situ”, empregada diretamente no local da contaminação e sem risco de contaminação secundária, a “ex situ”, quando existe a necessidade de transporte do material contaminado até o local de tratamento, ou em alguns casos as duas ao mesmo tempo.

O objetivo principal é remover a fonte de contaminação, reduzindo riscos ambientais, a contaminação do solo, da água subterrânea e ainda reduzir a exposição de usuários do recurso e dos trabalhadores do local a ser remediado.   

São diversas etapas importantes, que devem ser estudadas até a definição da melhor tecnologia de remediação, que deve estar de acordo com a legislação do IBAMA, além de atender aos requisitos do órgão ambiental local.

Escolhendo uma consultoria regulatória

Nossa Divisão Remediadores é especializada no processo regulatório de produtos remediadores químicos e biológicos. Além disso, oferecemos o suporte necessário para a obtenção de autorização de uso de produtos bioestimuladores e regularização da empresa. Realizamos ainda gerenciamento de testes em laboratório e produzimos estudos de inteligência de mercado, análise de concorrência, preços, potenciais distribuidores e articulação de parcerias para viabilização de negócios.

Quer saber mais?  Acesse nossos conteúdos e fique por dentro de todas etapas do processo regulatório para obtenção do registro e autorização de uso de produtos indicados para remediação e reabilitação de áreas degradadas.

en_USEN
pt_BRPT en_USEN