IBGE

Pesquisa do IBGE mostra queda no consumo de arroz e feijão pelo brasileiro

A Pesquisa de Orçamentos Familiares – POF 2017-2018, divulgada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – IBGE, mostrou que apesar da mesa dos brasileiros continuar composta, na maior parte das vezes por alimentos in natura ou minimamente processados, nos últimos 15 anos o consumo dos alimentos ultraprocessados aumentou consideravelmente.

Ao mesmo tempo, o estudo destaca que o prato mais tradicional do brasileiro, a combinação de arroz com feijão, está perdendo espaço na despensa: o consumo anual de arroz por pessoa caiu 37% e o de feijão caiu 52% nos últimos 15 anos.

Em termos totais, a pesquisa mostra que cerca de 49,5% das calorias disponíveis para consumo nos domicílios nacionais provém de alimentos in natura ou minimamente processados, 22,3% de ingredientes culinários processados, 9,8% de alimentos processados, além de 18,4% ser de alimentos ultraprocessados, como já citado anteriormente.

Dentre os alimentos in natura e minimamente processados, o arroz correspondeu a 15,6% das calorias totais, já o leite representou 5%, as carnes de aves 4,6% e o feijão 4,3%.

Dos ingredientes culinários processados, o óleo vegetal correspondeu a quase 11% das calorias totais, seguido pelo açúcar, com quase 10%.

Já entre os alimentos processados, o de maior contribuição para as calorias totais foi o pão (6,7% das calorias totais), seguido de queijos (1,4%).

Destacam-se entre os alimentos ultraprocessados os frios e embutidos (2,5%), biscoitos e doces (2,1%), biscoitos salgados (1,8%), margarina (1,8%), bolos e tortas doces (1,5%), pães (1,3%), doces em geral (1,3%), bebidas adoçadas carbonatadas (1,2%) e chocolate (1%). Para saber mais detalhes sobre o estudo, acesse https://bit.ly/2RwwIeb.

pt_BRPT
en_USEN pt_BRPT